Valorizar o capital humano nas empresas é certeza de sucesso

As mudanças de mentalidade e comportamento no mundo corporativo têm acontecido numa velocidade muito grande. Novas ideias e novos olhares provocam transformações no perfil de servidores e organizações.

No final do mês não é apenas o salário que promove satisfação aos colaboradores das empresas. A satisfação está atrelada ao bom desempenho, por isso, dar prioridade a projetos que agreguem qualidade de vida aos funcionários é de suma importância.

Um fator diferencial que minimiza a rotatividade na empresa é o sentimento coletivo de bem-estar.

Segundo Janet Wood, investir no desenvolvimento pessoal dos profissionais tem sido uma das prioridades nas organizações. O funcionário que se sente respeitado e valorizado terá maior motivação para oferecer o seu melhor, e neste caso, ambos saem ganhando.

Há empresas que oferecem fisioterapia, massagens e aulas de condicionamento físico duas vezes por semana além de um cantinho agradável, climatizado com televisão e assentos confortáveis para que na hora do almoço os colaboradores possam, por algum momento, descansarem até o retorno. Estas atitudes têm promovido muito sucesso e satisfação.

Devemos lembrar que antigamente o que diferenciavam as instituições empresariais eram as máquinas, equipamentos e estrutura física, porém, na atualidade, o que as difere é o conhecimento dos colaboradores.

Cito aqui Idalberto Chiavenato que diz: “… na era da Informação o conhecimento está se transformando no recurso organizacional mais importante das empresas. Uma riqueza muito mais importante e crucial que o dinheiro”.

É necessário gastar tempo ouvindo as pessoas, acolher boas ideias e estabelecer relacionamentos assertivos de confiança para impulsionar mudanças e tornar o desempenho mais prazeroso.

Os gestores da atualidade são desafiados a se comprometerem com o sucesso da organização sem esquecer que são os colaboradores que fazem isso acontecer.

Nessa nova postura, é exigido mais habilidade para lidar com pessoas, sem perder de vista as metas que precisam ser alcançadas. Faz-se necessário manter atividades voltadas para potencializar as qualificações dos colaboradores, sendo estes, o principal catalizador do desenvolvimento das empresas.

A liderança que só se envolve na busca de melhores resultados não consegue estabelecer criação de propósito e engajamento da equipe.

O ser humano, de uma forma geral, é regido de emoção e razão e não possui botão de liga e desliga. Somos indivíduos e possuímos sentimentos. A gestão de pessoas é extremamente importante dentro de uma organização.

Com tantas transformações que o mercado exige, podemos concluir que é preciso cuidar e tratar do maior capital da empresa: o capital humano.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.