Um momento para reavaliarmos nossa relação com a Natureza

Precisamos refletir, repensar e recomeçar como nos relacionar e cuidar do Meio Ambiente.

Refletir sobre o que realmente queremos para o futuro da nossa casa, do nosso planeta, para as futuras gerações.

Repensar em nossas atitudes, hábitos e relação com o ambiente ao qual estamos inseridos, ao ambiente do qual extraímos os recursos que são necessários a nossa sobrevivência.

Recomeçar a relação saudável entre homem e natureza. Recomeçar a recuperar e melhor utilizar as fontes de recursos que o nosso planeta nos oferece.

A muito, acompanhamos pelos meios de comunicação relatos dos impactos negativos de nossas atitudes e, mesmo assim pouco fazemos para modificar. Escassez e poluição das águas dos nossos oceanos, rio, lagos e lagoas, desertificação, contaminação dos solos, poluição atmosférica, ecossistemas destruídos, espécies em extinção. Tudo que foi mencionado anteriormente vem acontecendo bem debaixo dos nossos olhos, sem que nos modifiquemos, sem que tomemos nenhuma atitude.

Há a necessidade de fazermos uma reavaliação da forma como agimos e entendermos melhor como nossas ações impactam o meio ambiente, nos prejudicando e nos restringindo do que a natureza pode nos fornecer.

Estudos mostram que a poluição mata cerca de 9 milhões de pessoas por ano, isso é mais do que as mortes causadas por guerras e por violência. No Brasil cerca de 100 mil pessoas morrem em decorrência da poluição, mostra um artigo da BBC. Outro dado alarmante é que 50 mil morrem em decorrência da poluição do ar, diz a Organização Mundial da Saúde – OMS.

As proposições científicas apontam uma escala crescente das pressões deletérias exercidas pelas ações humanas sobre o sistema ambiental do nosso planeta e coloca as sociedades humanas e a biodiversidade numa trajetória de colapso iminente.

A percepção da necessidade de mudança da postura da sociedade para a manutenção de um ambiente sustentável já era notado por um grande líder, Mahatma Gandhi. Certa vez ele disse: “Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não haveria pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.”

Precisamos estar mais próximos da natureza, promover realmente as mudanças que são necessárias para podermos ter a nosso favor os benefícios que o nosso planeta nos proporciona. Ainda há tempo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.