Funcionário ou Colaborador? Você sabe qual a diferença?

Com o passar do tempo e as mudanças constantes, faz-se necessário criar outras palavras para designar novas descobertas, valores etc. A forma de expressar, através da linguagem, se modifica para suprir esta demanda. Como exemplo deste fenômeno, posso citar o vocábulo “funcionário”. Embora seja ainda utilizado por empresas, ele está sendo substituído pela palavra “colaborador”.

Funcionário é aquele que executa alguma função e colaborador é aquele que trabalha de forma participativa e comprometida para gerar lucros, pois a empresa sempre o valoriza por isso e não deve ser visto como uma peça na engrenagem da organização executando ordens.

As empresas mais atualizadas com novas demandas reconhecem o valor dos colaboradores e criam incentivos para que estes cumpram metas usando seus conhecimentos e habilidades de forma mais livre e empreendedora. Infelizmente há casos de empresas que propagam ter colaboradores, porém, internamente, os tratam como funcionários. Por outro lado há pessoas que não demonstram interesse em seu desenvolvimento e executam sua função com a mentalidade de funcionário.

Com o avanço da tecnologia e apesar da inteligência artificial ser uma realidade, o coração da empresa é o capital humano. Os colaboradores devem ser motivados a darem o seu melhor e consequentemente serem reconhecidos por isto.

O ato de vestir a “camisa da empresa” não significa somente usar o uniforme estabelecido, mas também em comprometer de se reinventar, investir em novos conhecimentos, inspirar pessoas na construção de projetos e boas ideias colocando-os em prática. Podemos considerar tais atitudes como sendo o “óleo” que move as “engrenagens” das organizações.

Por outro lado os gestores precisam estabelecer comunicação assertiva, possuir estratégias para tratar conflitos, investir nas pessoas e favorecer realização pessoal.

Os incentivos materiais são sempre bem vindos, entretanto, os incentivos emocionais impulsionam o colaborador para melhor desempenho.

Somos seres racionais, pois usamos a capacidade de raciocinar, e de forma bastante complexa, temos habilidades para fazermos escolhas. Somos seres sociais, temos a necessidade de conviver e interagir com outras pessoas, sermos reconhecidos e estimados. Também somos seres emocionais. As emoções permeiam nossos pensamentos, linguagem e atitudes.

É bastante desafiador, não obstante, extremamente necessário alinhar as competências da equipe aos valores e metas da empresa, de forma assertiva, ousada e respeitosa.

Ao unir forças complementares os objetivos serão contemplados com satisfação tanto para as empresas quanto para os colaboradores.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.