Empatia: uma atitude que requer desprendimento

O mundo corporativo, como revela Magui Castro, não tolera mais chefes durões e arrogantes que convenciam pelas metas alcançadas. Faz-se necessário desenvolver posturas mais amistosas e sensíveis nas relações interpessoais.

Empatia é o comportamento mais visado pelo mercado de trabalho nos dias de hoje. A capacidade para envolver e entender as pessoas promove uma liderança mais eficiente. Definido pela habilidade de se colocar no lugar dos outros, esse comportamento vem sendo considerado um dos fatores mais importantes e buscados nos profissionais da atualidade. Pode parecer simples, contudo, na prática, essa é uma habilidade que não se aprende na sala de aula. Para as pessoas, naturalmente menos empáticas, é necessário uma disponibilidade interna que as leve na conquista dessa postura.

Os elementos que influenciam a maneira de uma pessoa pensar e agir são inúmeros, como sua origem, perfil emocional, história de vida etc. Ser empático implica ter a capacidade de colocar posicionamentos pessoais “de lado”, por algum tempo, e colocar uma “lente” com o objetivo de perceber as situações a partir das perspectivas do outro. Essas percepções promovem relacionamentos menos ameaçadores e mais assertivos.

É frequente as pessoas olharem para si mesmas valorizando seu potencial e olharem para o outro julgando suas incompetências. Lidar em equipe é sempre desafiador. Conflitos de ideias, interesses e falhas na comunicação nunca deixarão de acontecer. A diversidade pode ser um ponto positivo, se for bem conduzida, porém, danosa se as pessoas tomarem posturas desrespeitosas. A Inteligência emocional, os engajamentos e os propósitos são considerados importantes na vida das empresas.

No passado, o conhecimento técnico era suficiente para conseguir um trabalho, hoje é levado em conta também o Q.E (Quociente Emocional). Saber reconhecer as necessidades da equipe leva o líder a perceber quais são os maiores potenciais que o ajuda a atingir melhores resultados. Quando os colaboradores sentem-se compreendidos e acolhidos em seus sentimentos, tornam-se mais motivados a se engajarem com mais compromisso em suas funções.

Algumas pessoas confundem empatia com simpatia. É bom diferenciá-las! A palavra simpatia é de origem grega e possui o prefixo “sym” que significa “ao lado de”. Já a palavra empatia, também de origem grega, possui o prefixo “en” que remete ao interior, ou seja, estar “dentro de”. Portanto, o simpático é agradável com você enquanto o empático o toca sem usar as mãos.

Desafie-se a sentir as pessoas de forma diferente e percebê-las com uma postura menos julgadora. Posicione-se de forma clara, sensível e respeitosa, pois, desenvolver essa habilidade promove grande impacto na qualidade dos relacionamentos de negócios, carreira, como também no convívio familiar. Que todos tenham muito sucesso!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.