Publisher is the useful and powerful WordPress Newspaper , Magazine and Blog theme with great attention to details, incredible features...

Novos empreendimentos, marketing de influência e segurança jurídica.

Enquanto antes era impossível concorrer com as empresas mais consolidadas e com seu marketing tradicional nas propagandas de revista e televisão, hoje, no mundo da informação e das mídias sociais, o Marketing Digital abre espaço para o crescimento dos novos empreendimentos. Por um baixo custo e com excelentes resultados, o chamado de Marketing de Influência aumenta a notoriedade das novas marcas e influencia as decisões de compras de cada vez mais clientes.

Diferente de outros tipos de marketing, em que o público não é qualificado, e são produzidas publicidades em “massas” – que por sua vez dependem de um grande número de alcance para obter a conversão desejada -, o marketing de influência tem um segmento mais específico e passa sua mensagem junto com o conteúdo. Ou seja, a marca se encaixa com o influenciador e seu público, aumentando a aceitação da mensagem e interesse pelo produto.

O influenciador é uma fonte confiável de informações para seus seguidores, eles produzem conteúdo autêntico, engajando o público, que está em busca de opiniões verdadeiras e sinceras. Para isso, o influenciador estreita suas relações e se conecta com suas comunidades culturais, que por sua vez, passam a serem defensores de tudo em que o influenciador está relacionado e consequentemente a marca que apoia.

Apesar de já existirem portais que facilitam, tanto a busca, quanto a contratação de influenciadores, principalmente para empreendimentos locais e recentes, a realização dessas parcerias comumente ocorre diretamente com a pessoa confiada. Nessas situações é necessário atentar-se a como será regulamentada a relação entre a marca e o influente contratado.

A melhor forma de assegurar os direitos e obrigações das partes é por meio de um contrato de prestação de serviços, que pode ser complementado também por um termo com maiores especificações, como as circunstâncias em que deve ser feita o marketing (horário, ambientação, etc). Deve ser observado se o influenciador atua como pessoa jurídica, MEIs ou como pessoa física; se será feita uma única publicação (e como ela se dará, exemplo: review, postagem na “História” de alguma rede social, etc), ou se haverá alguma frequência e qual o número de postagens; se será determinado um alcance; e qual será a forma de contraprestação, se será pecuniária (em dinheiro) ou em produtos, por exemplo. Além disso, podem ser definidos outros pontos jurídicos como: o direito de imagem e propriedade intelectual e o Código de Autorregulamentação Publicitária, que aponta questões como abuso de confiança dos consumidores.

Carolina Schiller, Diretora Presidente
Daniel Diniz, Consultor de Projetos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.